.pedaços recentes

. Alucinação - Parte II

. Alucinação - Parte I

. Um par de sapatos - Parte...

. Um par de sapatos - Parte...

. Um elo invisível

. Efeito borboleta

. Às vezes o escuro basta

. Campanha de Incentivo à L...

. Simple things...

. Ir com calma...

. Cliché

. Anzol

. Closure

. As if it was always the f...

. A espera

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Abril 2014

. Março 2014

. Outubro 2013

. Julho 2013

. Maio 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Junho 2012

. Abril 2012

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Abril 2010

. Fevereiro 2010

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

Sábado, 29 de Dezembro de 2007

É para ti que ainda escrevo...

(imagem tirada da net)

    É para ti que tenho escrito... é em ti que ainda penso. Antes também pensava em ti todos os dias, mas era diferente. Sempre que deitava a cabeça na almofada, rezava. Pedia para que o teu dia tivesse sido bom, para que o seguinte também assim fosse. Pedia ao Pai do céu para que o dia que passou, não o tivesses passado a chorar. Agradecia cada minuto que consegui a teu lado. Cada carinho que recebi de ti, cada carinho que te pude dar, cada sorriso que arranquei de ti. Tantas vezes ouvi dos teus lábios o bem que te sentias quando estavas comigo, quando falavas comigo, quando simplesmente me ouvias. Chegaste a ligar-me só para ouvir a minha voz. E eu morria por ouvir a tua.
    É para ti que tenho escrito, mas sei que tu não lês. Tens algo de mais importante, algo que merece muito mais a tua atenção do que eu, do que as coisas que escrevo, que dizias gostar tanto de ler. Agora escrevo-te para não me leres. Escrevo para não enlouquecer.
sinto-me: Com saudade...
tags: ,

by anamar às 01:17

link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 28 de Dezembro de 2007

Carta de um anjo...

 
 
 
 

(imagem tirada da net)


Tu és o meu protegido. Deus criou-me para olhar por ti. Sei que não me vês mas sentes-me. E tu sabes disso.

Sempre que uma lágrima te cai a minha mão está poisada no teu ombro. Sou eu que te dou a coragem de chorar, de sentir a dor. A dor significa que te permitiste a amar, que abriste o teu coração. E quando alguém abre o coração, abre-o ao bem e ao mal. 

Tudo na vida tem o seu contrário, o seu oposto. É isso que faz com que exista equilíbrio. Conhecendo o bem aprendemos a proteger-nos do mal. Conhecendo o mal aprendemos a valorizar o bem. Tudo se completa e só faz sentido se for assim.

E eu estou sempre contigo. Sei que me sentes e às vezes que me reconheces no meio das coisas desse mundo. Às vezes até olhas para mim. E eu sou tão feliz quando olhas para mim...

Hoje é um dia especial. Vamos fazer um pacto, tu e eu. Quando nasci fiz uma promessa, olhar sempre por ti, por todos os dias da tua vida. Mas o amor que te tenho é tão grande, que te quero dar mais do que isso. A partir de hoje, a nossa amizade vai ser diferente, vai ser especial, ainda mais especial. A partir de hoje, vou falar contigo, muitas vezes, e tu vais ouvir-me com carinho, porque o teu coração é grande. Aceita este meu presente, porque o verdadeiro amor não se rejeita.

Agora descansa…
"AG"    25-Set-07

 

 

Este foi um texto que eu escrevi há algum tempo… Achei merecedor de um lugar neste meu sentimental blog. Quando o escrevi achei que muitos mais capítulos teria, mas o personagem principal perdeu as forças, o anjo perdeu a vontade de voar... Quem sabe um dia não descubra que não é preciso mais nada além de vontade para voltar a voar como dantes.

sinto-me: Tranquila
tags: , , ,

by anamar às 16:52

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Quinta-feira, 27 de Dezembro de 2007

As palavras que nunca te direi...

(imagem tirada da net)
 

As palavras, mesmo escritas, estão a custar a sair. Pode ser que um destes dias eu consiga deitar cá para fora toda esta dor. O meu coração está desfeito. Desmanchei todas as minhas esperanças. Baixei os braços e deixei-te partir. Porque tu não és meu… és e sempre foste de outra pessoa.

Ontem deixei a minha almofada coberta de um mar de saudade. Lembro-me de quando nos falámos a primeira vez, de quando nos vimos, de quando nos olhámos cara a cara… Das infinitas conversas que tínhamos no msn. Ficávamos horas a falar de música, de sentimentos, de Deus, do amor. Éramos tão parecidos que até doía. E esse íman que nos fazia ficar acordados até às duas da manhã sem nenhum ter coragem de desligar. Era um custo desligar… deixar de te ler, deixar de te ouvir… Uma vez disseste-me que a noite tem menos brilho sem uma conversa comigo. Desde então, poucos eram os dias em que não falássemos.

Não demorou muito em depositar em ti uma confiança que poucas pessoas recebem de mim. Porque tu sentes tudo como eu, sentes tudo de todas as maneiras, simplesmente sentes! E pelo mesmo motivo sei que confias imensamente em mim, tu mo disseste e eu sinto isso. No que depender de mim, essa confiança não cessará nunca, bem como o bem-querer que te tenho.

Fiz contigo algo que não pensava ter coragem. Por gostar tanto de ti, deixei-te partir quando a hora chegou.

Houve momentos em que te sentiste apavorado, imensamente triste, e nesses momentos eu dei-te o meu colo, o meu ombro, a minha mão. E as tuas lágrimas, que pensavas já estarem secas, caíram todas no meu regaço, onde te abracei com força, onde te guardei em mim.

Lembro-me de um dia que me levantei às duas da manha para falar contigo… depois de uma mensagem de boa noite, em que pensavas que já estava a dormir. Soubeste apreciar o gesto. Como todos os outros que te dei.

Lembro-me de quando comecei a deixar de mandar no que sentia. Foi numa noite que me pediste ajuda. Lembro-me de combinarmos deixar as coisas fluir, mas nessa noite estavas muito triste… e eu estava aqui para te acolher. Disseste que ela não te sabia fazer feliz. Disseste que começavas a querer-me… e eu acreditei. Porque nunca me disseste que não… porque eu sempre te disse que sim.

Guardo no peito lugares marcantes. O lugar onde te roubei o primeiro beijo, e tu deixaste. Toquei-te ao de leve, como uma borboleta que poisa nesses lábios doces. Percorri o teu rosto infinitas vezes até ter a certeza que estavas ali comigo. Peguei-te na mão e se pudesse não mais te deixava. As minhas mãos eram tuas.

Recordo o lugar onde a nossa pele se tocou, muito além do mundo físico. Nesse dia eu já era tua. Mas tu não eras meu. E por isso, a razão não me deixou ser livre, porque tu não eras livre.

Lembro os momentos em que rimos até doer a barriga. A loucura era um dos alimentos desta nossa aventura, desta nossa paixão. Não tenho medo de lhe chamar paixão, pois sei que tu próprio um dia assim lhe chamaste, me chamaste.

Guardo comigo as coisas lindas que me chamavas, porque sei que eram sentidas. Não disseste uma única palavra que não fosse sentida. Eu fui a tua paixão… eu fui o teu guia… eu fui o teu anjo da guarda. Hoje sou uma amiga...

Onde quer que estejas, com quem quer que estejas, quero que saibas que te amo, e por isso quero que sejas o mais feliz que conseguires! É uma ordem!!!

sinto-me: Mega triste...
música: I Remember You_Diana Krall

by anamar às 19:04

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Quarta-feira, 26 de Dezembro de 2007

Eu só quis que soubesses quem eu sou...

Iris

E eu desistiria da eternidade para te tocar
Pois eu sei que, de algum modo tu me sentes
É o mais próximo do paraíso que eu jamais estarei
E eu não quero ir para casa agora

E tudo o que posso provar é este momento
E tudo o que posso respirar é a tua vida
Porque mais cedo ou mais tarde tudo acaba
Eu só não quero ficar sem ti esta noite

E eu não quero que o mundo me veja
Porque eu sei que eles não entenderiam
Quando tudo é feito para não durar
Eu só quero que tu saibas quem eu sou

E não podes lutar contra as lágrimas que vêm
Ou o momento de verdade das tuas mentiras
Quando tudo se parece como nos filmes
Sim, tu sangras apenas para saber que estás vivo

E eu não quero que o mundo me veja
Porque eu sei que eles não entenderiam
Quando tudo é feito pra não durar
Eu só quero que tu saibas quem eu sou

E eu não quero que o mundo me veja
Porque eu sei que eles não entenderiam
Quando tudo e feito pra não durar

Eu só quero que saibas quem eu sou!

 

(imagem tirada da net)
 

 

Não sei se conseguiria desistir da eternidade para te tocar... Se os teus sinais me mostrassem um caminho! Mas neste momento os sinais desapareceram. Houve momentos em que esses sinais eram tantos. Sentia-me feliz, porque em tempos também deixei de os procurar, então apareceste tu.

Então fui-me deixando levar, por ti. Aos poucos fui-te trazendo comigo. Ainda hoje estás comigo, e sempre vais estar. A maneira como te guardo é que pode ir mudando com o tempo, pois estou certa que a maneira como me guardas também não será sempre igual. Mas o para sempre já existe. A tua pele já tocou a minha.

Eu só quis que soubesses quem eu sou... e já conheces tanto de mim! Mas não conheces tudo, e estou certa que nunca vais conhecer. Guardo mistérios em mim que, se te revelasse um por cada dia, uma vida não bastava para os conheceres a todos. Por isso nunca te convenças que sabes tudo de mim, terei sempre algo guardado para te surpreender.

 

 

sinto-me: nem sei...
música: Goo Goo Dols - Iris

by anamar às 14:51

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Segunda-feira, 24 de Dezembro de 2007

Equanto a meia noite não chega...

(imagem tirada da net)

 

 

Estou esperando a meia noite chegar… meia noite de um dia que de especial teve muito pouco. Mas de entre as poucas coisas especiais que surgiram, saliento as melhores prendas de Natal que alguém me podia dar nesta altura do ano. Três Pequenas coisas que muito significam para alguém que ultimamente anda com a auto-estima bem em baixo.

 

A primeira foi um grande amigo que ma deu. “És um tesouro!” disse ele… Neste caso muito específico, e em jeito de brincadeira, o pensamento que mais rapidamente me surgiu foi: “Mas que pena não seres tu um pirata!”. Pois espero que a tua Noite Mágica, esteja a sê-lo realmente, porque como eu te digo sempre, a verdadeira magia somos nós qua a fazemos. Gosto muito de ti!

 

A segunda foi-me dada por um outro grande amigo. “Devo dizer que te adoro!” E eu devo dizer que em certos caso esta frase assusta. Adorar é um verbo extremamente forte. Mais forte que ele, só mesmo o verbo amar. Implica uma grande responsabilidade. Quando alguém diz que te adora, duas coisa podem surgir-te no pensamento: o que terei feito eu para esta pessoa me adorar? De certo algo que a agradou, logo terei algo a valorizar e fico feliz por isso. Ou então, que magia têm estes olhos, que no meio de uma tal confusão que sou eu, conseguiram ver algo digno de ser admirado? Gosto mais de pensar que será a segunda escolha. São os olhos dos outros que fazem de nós pessoas especiais.

 

Por último, mas não a menos deliciosa “prenda”. Também dada por um grande amigo. (É só amigos, pensarão vocês… amigos que não acabam mais… lol). “Bom Natal linda… Beijo minha doce maluca!” esta frase foi das mais queridas que recebi este Natal, vinda de onde eu menos esperava. Obrigada! Tens um lugar teu no meu coração.

 

Entretanto a meia noite está já mais próxima. Vou abrir o meu coração e deixar vir ao de cima a criança que ainda guardo em mim… Vou esperar que a magia aconteça… Não quero prendas… Não quero um Natal enfeitado… Quero apenas deixar nascer em mim o maior milagre da humanidade… o Amor. Feliz Natal para todos!

 

 

sinto-me: Mais triste que contente...
música: All I Want For Christmas Is You

by anamar às 23:35

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


.favorito

. A energia de um sorriso.....

. Línguas de fogo

. James Carrington - "Ache"

. Numa caixa de papelão

. Viagem no teu pensamento

.outros pedaços

blogs SAPO

.subscrever feeds