.relógio

.pedaços recentes

. Alucinação - Parte II

. Alucinação - Parte I

. Um par de sapatos - Parte...

. Um par de sapatos - Parte...

. Um elo invisível

. Efeito borboleta

. Às vezes o escuro basta

. Campanha de Incentivo à L...

. Simple things...

. Ir com calma...

. Cliché

. Anzol

. Closure

. As if it was always the f...

. A espera

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Abril 2014

. Março 2014

. Outubro 2013

. Julho 2013

. Maio 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Junho 2012

. Abril 2012

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Abril 2010

. Fevereiro 2010

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

.aqui e agora

hit counters
Segunda-feira, 17 de Agosto de 2009

Dia "Nim"...

 

(imagem tirada da net)

 

Desenganem-se os tolos (como eu por vezes) que acham que o mundo deve compreender os nossos dias maus, a nossa raiva momentânea que outros ou nós mesmos causámos. Desenganem-se se acham que os outros têm de compreender que não conseguimos ser simpáticos, atenciosos, cuidadosos e até mesmo justos no que dizemos ou fazemos.

Se pensarmos bem nem nós mesmos compreendemos os outros. Quantos de nós já nos perguntámos o que terá aquela vendedora X a pesar no pensamento para nos responder com tão pouca simpatia? Quantos de nós já pensámos para nós mesmos “deixa lá que esta pessoa hoje pode estar a ter um dia mau, tenho de dar um desconto”. Geralmente nem colocamos essa hipótese, de compreender. São raríssimas as pessoas que o fazem, e confesso, admiro-as muito por isso.

Não se iludam quando acharem que, por estarem a ter um dia com os “nervos em franja”, o mundo vai compreender e o cosmos vai conspirar para não piorar em nada a situação. Pelo contrário, tudo vai piorar a situação. É fatal como o destino (como me dizia alguém há uns anos atrás, se bem que já não sei quem… a minha memória é realmente uma desgraça). É precisamente em dias como esse que se perdem os autocarros, que acaba o papel na casa de banho, que se parte a loiça, que se entornam cafés para cima da roupa, que se carrega num interruptor e a lâmpada estoira… tal é a carga pesada que circula em nós nesses dias.

Em dias assim, o melhor mesmo é nem “aparecer ao público” (isto quem pode claro). Por isso, vou lavar e aspirar o carro… lol.

 


by anamar às 14:58

link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


.Fases da Lua

CURRENT MOON

.favorito

. A energia de um sorriso.....

. Línguas de fogo

. James Carrington - "Ache"

. Numa caixa de papelão

. Viagem no teu pensamento

.outros pedaços

blogs SAPO

.subscrever feeds