.pedaços recentes

. Alucinação - Parte II

. Alucinação - Parte I

. Um par de sapatos - Parte...

. Um par de sapatos - Parte...

. Um elo invisível

. Efeito borboleta

. Às vezes o escuro basta

. Campanha de Incentivo à L...

. Simple things...

. Ir com calma...

. Cliché

. Anzol

. Closure

. As if it was always the f...

. A espera

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Abril 2014

. Março 2014

. Outubro 2013

. Julho 2013

. Maio 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Junho 2012

. Abril 2012

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Abril 2010

. Fevereiro 2010

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

Quinta-feira, 18 de Outubro de 2012

Um brinde

 

 (fonte: http://luxodefesta.com.br/wp-content/uploads/2011/12/Brinde-.jpg)

 

Um brinde a todas aquelas pessoas que, não tendo ainda encontrado aquele/a que as completa, permanecem boas pessoas...


by anamar às 22:40

link do post | comentar | favorito

3 comentários:
De Carlos Alvenel a 23 de Outubro de 2012 às 20:25
Há que tentar ser-se bom em todas as situações. Ou pelo menos estar bem consigo mesmo. Já é algo.


De Sol a 31 de Outubro de 2012 às 12:34
Esta frase suscita-me vários comentários... acho que o nosso primeiro trabalho é completarmo-nos a nós próprios, não esperando que esse complemento venha de fora, porque o que vem, eventualmente pode ir embora e, ficamos, depois, novamente despidos da "pele" que nos foi emprestada.
Depois também não acho que o facto de se ser bom ou mau (se é que isto é assim tão estanque) esteja relacionado com o estar sozinho ou estar acompanhado.

Não havendo fórmulas, acho que o importante é sentirmo-nos bem com o que somos, sós ou acompanhados... E quando não nos sentirmos assim, termos a coragem para dar a volta e procurar novos caminhos...


De anamar a 1 de Novembro de 2012 às 01:11
Concordo contigo, Sol.
Mas também acho que ainda existem muitas pessoas que não entendem esse conceito do "sentir-se bem com o que se é". Muitas nem sequer sabem o que são ou quem são. E porque isso é uma caminhada, algo que se atinge com o tempo e nunca por completo, é que eu celebro a todos os que, como eu, levaram o seu tempo a perceber que o melhor de nós mesmos não depende de mais ninguém além de nós. Que o melhor de nós mesmos não deve perder-se depois de uma qualquer ilusão ou desilusão, apesar da tristeza ou revolta que se possa sentir. O importante é que não nos percamos naquilo que não somos à procura daquilo que somos.
Bem-vinda Sol! :)


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


.favorito

. A energia de um sorriso.....

. Línguas de fogo

. James Carrington - "Ache"

. Numa caixa de papelão

. Viagem no teu pensamento

.outros pedaços

blogs SAPO

.subscrever feeds