.pedaços recentes

. Alucinação - Parte II

. Alucinação - Parte I

. Um par de sapatos - Parte...

. Um par de sapatos - Parte...

. Um elo invisível

. Efeito borboleta

. Às vezes o escuro basta

. Campanha de Incentivo à L...

. Simple things...

. Ir com calma...

. Cliché

. Anzol

. Closure

. As if it was always the f...

. A espera

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Abril 2014

. Março 2014

. Outubro 2013

. Julho 2013

. Maio 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Junho 2012

. Abril 2012

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Abril 2010

. Fevereiro 2010

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

Quinta-feira, 1 de Novembro de 2012

Passeios no parque...

(fonte: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=431429213586363&set=a.404465462949405.96635.157842324278388&type=1&theater)

 

Passeios no parque…
 

Se eu tivesse que escolher um nome para dar ao meu conto de fadas, seria este.

 

Um conto de fadas é isso mesmo, um conto, uma história curta, com personagens nascidas do nosso imaginário. Mas não é por isso que deixam de ser as mais deliciosas histórias que alguma vez ouvimos.

 

Esta não a ouvia em pequenina, antes de adormecer. Nesta história fui protagonista, qual Branca de Neve, Bela Adormecida ou Cinderela. O príncipe não trazia cavalo branco, não existiam bruxas más nem dragões flamejantes, mas o cenário era praticamente encantado. Estou quase certa que cheguei a ouvir sininhos tilintar enquanto passeava naquele parque.

 

A chuva quando caindo nas árvores parecia dizer um longo “Shhhh”, como se pedisse sussurros em vez de conversas. O rio reluzente espelhava o mundo em dois, como se nos quisesse fazer crer que ali ninguém se sentiria sozinho. As luzes dos candeeiros brilhavam espalhadas nas gotas de chuva criando a sensação de estarmos rodeados de estrelas.

 

Um parque onde nada era diferente, mas onde tudo parecia diferente.

 


by anamar às 01:54

link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


.favorito

. A energia de um sorriso.....

. Línguas de fogo

. James Carrington - "Ache"

. Numa caixa de papelão

. Viagem no teu pensamento

.outros pedaços

blogs SAPO

.subscrever feeds