.pedaços recentes

. Alucinação - Parte II

. Alucinação - Parte I

. Um par de sapatos - Parte...

. Um par de sapatos - Parte...

. Um elo invisível

. Efeito borboleta

. Às vezes o escuro basta

. Campanha de Incentivo à L...

. Simple things...

. Ir com calma...

. Cliché

. Anzol

. Closure

. As if it was always the f...

. A espera

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Abril 2014

. Março 2014

. Outubro 2013

. Julho 2013

. Maio 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Junho 2012

. Abril 2012

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Abril 2010

. Fevereiro 2010

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

Quinta-feira, 15 de Novembro de 2012

Diálogo

 

(fonte:www.facebook.comphoto.phpfbid=427971637265454&set=pb.157842324278388.-2207520000.1352666002&type=3&theater)

 

Diz-se que o diálogo leva ao entendimento. Certo é que a minha família sempre funcionou na base da célebre frase de policial americano, “tem o direito de permanecer em silêncio; tudo o que disser poderá ser usado contra si.” Se isto é saudável? Definitivamente não. Foi o suficiente para fazer de mim uma pessoa incapaz de argumentar em situações de grande stress. Todo o meu sistema operativo boqueia e, por vezes, até parece que estou num outro lugar qualquer.

 

Em minha casa sempre foi muito difícil conversar. Não é que não existissem conversas porque existiam, mas acabavam quase sempre da mesma maneira. Talvez seja apenas a forma como assimilei os diálogos com o passar dos anos, mas a minha perceção construiu em mim uma visão irrealista do que é conversar, fosse sobre sentimentos, preocupações ou opiniões.

 

O diálogo leva ao entendimento. Mas o modelo de diálogo que conheci, quase sempre levava ao desentendimento, ou pior, levava ao não entendimento de mim mesma. Acho mesmo que interferiu na construção dos alicerces da minha autoconfiança. Criou em mim um medo de julgamento. E na eminência da possibilidade de ser julgada, percebi que o melhor é calar.

 

É claro que hoje compreendo tudo isto e por isso consigo contornar os seus efeitos. Se os pais soubessem bem o quanto influenciam os filhos… Para o bem e para o mal. Consigo no entanto perceber que os meus sempre fizeram o melhor que souberam e, só por isso, têm muito valor. Todos nós vamos aprendendo ao logo da vida e se calhar, se fosse hoje, fariam muitas coisas de forma diferente. Resta-nos perceber o que não foi feito da melhor forma e melhorá-lo nós, como um puzzle construído a várias mãos…


by anamar às 20:24

link do post | comentar | favorito

2 comentários:
De .Entre o Aqui e o Ali a 24 de Dezembro de 2012 às 00:18
Olá :)

Invadi o teu cantinho para te dizer o quanto percebo o teu sentimento aqui descrito. E melhor, apesar de ter passado pelo mesmo, nunca me tinha questionado sobre o porquê da minha dificuldade de argumentação em situações de nervosismo. Agora faz sentido!!

Obrigada e Fica bem!! :)
V.


De anamar a 27 de Dezembro de 2012 às 21:44
Olá V.
Obrigado pelo teu comentário. Não é que este meu cantinho tenha vindo a ser um espaço destinado a grandes análises do porquê de sermos como somos. Mas é verdade que o passar do tempo nos vai trazendo entendimento. Este foi apenas um que decidi partilhar. E, aparentemente, ainda bem que o fiz.
Aparece mais vezes! Serás sempre bem-vinda!


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


.favorito

. A energia de um sorriso.....

. Línguas de fogo

. James Carrington - "Ache"

. Numa caixa de papelão

. Viagem no teu pensamento

.outros pedaços

blogs SAPO

.subscrever feeds