.relógio

.pedaços recentes

. Alucinação - Parte II

. Alucinação - Parte I

. Um par de sapatos - Parte...

. Um par de sapatos - Parte...

. Um elo invisível

. Efeito borboleta

. Às vezes o escuro basta

. Campanha de Incentivo à L...

. Simple things...

. Ir com calma...

. Cliché

. Anzol

. Closure

. As if it was always the f...

. A espera

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Abril 2014

. Março 2014

. Outubro 2013

. Julho 2013

. Maio 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Junho 2012

. Abril 2012

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Abril 2010

. Fevereiro 2010

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

.aqui e agora

hit counters

.Site Meter

Terça-feira, 22 de Outubro de 2013

Um elo invisível

 

(fonte: http://www.infinitylist.com/video/the-art-of-flight-w-travis-rice/)

 

É interessante perceber o quanto nos influenciamos uns aos outros. Porque hoje fui visualmente "invadida" por um conjunto de publicações de pessoas que me são importantes com músicas ou assuntos que também o são, achei que o meu pensamento era digno de ser partilhado.

 

Uma determinada música, um lugar, um filme, só terá “aquele” significado se tiver uma memória associada. E se, por vezes, conseguimos criar memórias sozinhos, a maior parte delas nasce de uma partilha. Hoje percebi que existem elos subliminares fantásticos entre as pessoas criados por essas “coisas”.

 

Existe um certo grupo musical de que eu gosto muito, os The Naked and Famous. E gosto, muito à conta de quem mo deu a conhecer. A primeira vez que os ouvi foi como banda sonora do filme The Art of Flight, que um amigo fez muita questão que eu visse. É um filme tipo documentário e andei imenso tempo até decidir vê-lo até ao fim. Mas quando finalmente o fiz, agradeci imenso ao meu amigo por o ter partilhado comigo. Parece estranho, mas proporcionou-me um conjunto de emoções muito fortes. Um sentimento de liberdade e um desejo de fazer mais e de ir mais longe, que um “obrigado” parece pouco para agradecer tal experiência.

 

Aquele som ficou para sempre vinculado àquele sentimento. As músicas passaram a ter um significado muito para além do simples prazer de as ouvir. Passaram a ter memória. Do sentimento que despertaram e da pessoa que o proporcionou. Depois disto, naturalmente não guardaria a música só para mim.

 

Uma delas passou a “habitar” o toque do meu telemóvel e, à conta disso, outros ouviram e aprenderam a gostar. Mais tarde, voltou a estar presente num momento que gerou memórias e foi nesse instante que eu passei a minha “herança”, daquele sentimento passado primeiro pelo meu amigo. A música que era, até então, especial para mim, porque já o era para alguém, passou a sê-lo para outra pessoa. A música é efetivamente um elo invisível que une as pessoas e que arrasta memórias... de umas para as outras.

 

 


by anamar às 20:16

link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


.Fases da Lua

CURRENT MOON

.favorito

. A energia de um sorriso.....

. Línguas de fogo

. James Carrington - "Ache"

. Numa caixa de papelão

. Viagem no teu pensamento

.outros pedaços

blogs SAPO

.subscrever feeds