.relógio

.pedaços recentes

. O som das lembranças...

. Esse lugar só meu...

. Pouco a pouco me liberto....

. Crónica: Pessoas... razão...

. As palavras que nunca te ...

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Abril 2014

. Março 2014

. Outubro 2013

. Julho 2013

. Maio 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Junho 2012

. Abril 2012

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Abril 2010

. Fevereiro 2010

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

.aqui e agora

hit counters

Sábado, 28 de Junho de 2008

O som das lembranças...

(imagem tirada da net)

 

 

Era capaz de te escrever 365 cartas por ano e em cada uma dar-te uma razão diferente para gostar de ti. Mas estamos num tempo em que as cartas parecem já não fazer sentido, porque mostram amor demais.


Já dançámos junto ao rio, debaixo das estrelas… e ficámos abraçados a ouvir o som da corrente a passar… Pudesse ela levar o que nos separa. Pudesse a água que nela corre regar a semente que nos uniu, que nós semeámos.


Não são escassas as vezes que ponho uma música a tocar, que me traz de volta momentos que já só são memórias… doces memórias. Como um amor de Verão… uma estrela cadente que coloca toda a sua beleza, todo o seu esplendor num momento apenas, no momento em que o céu se ilumina de a ver passar. Então sinto… fico só a sentir. E quando me sinto dividida entre o sorriso e a lágrima de saudade, reabro a caixinha dos sorrisos que fui guardando cada vez que sorrias para mim. São eles que dão sentido a cada momento passado a teu lado. É por isso que sempre escolho sorrir quando a música toca, quando as memórias chegam bem à flor da pele.

 

 

 

sinto-me: com o teu sorriso na memória
música: Duffy_Warwick Avenue

by anamar às 15:28

link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 6 de Junho de 2008

Esse lugar só meu...

 

(imagem tirada da net)

 

Gostava de levar-te a um lugar…

Gostava de te mostrar o meu mundo, onde tudo é especial. Aí poderias ver tudo como eu vejo. Cada música marca um momento. Cada perfume lembra uma pessoa e uma história. As cores são sentimentos e as coisas são memórias. Tudo o que se dá recebe-se em dobro. As pessoas não mentem e a honestidade é uma medalha no peito. As lágrimas caem de alegria e as de tristeza nunca chegam ao chão. Há sempre um amigo por perto. O beijo e o abraço são como pedras preciosas, que se oferecem a quem se gosta. Quem recebe fica rico e partilha com quem não tem. Gostava que visses este mundo… Gostava que te visses como eu te vejo, aí talvez percebesses como és especial… pelo menos para mim!

 
Amigos, isto é para vocês!!!
 
 

lugar ( Pedro Khina ) -

 

sinto-me: orgulhosa
música: Lugar_ Pedro Khima

by anamar às 17:54

link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 1 de Fevereiro de 2008

Pouco a pouco me liberto...

 

 

(imagem tirada da net)


 

Começo a sentir-me mais livre. Não é que antes estivesse numa prisão. Mas aquele aperto no peito, cada vez que pensava que não te tinha, pelo menos como um dia desejei, já não é o mesmo. Tudo está em mudança. Os sentimentos estão a mudar, eu estou a mudar. O que sinto por ti já não é igual. Continua a ser bom, muito bom, porque sempre que falo contigo os sorrisos multiplicam-se e as tristezas dividem-se. E isto basta para descrever o que guardamos, uma doce e carinhosa amizade. És um amigo como nenhum outro. É bom ter-te por perto, perto do meu coração.

 

Não sei o que o futuro me reserva, ou o que quero construir nele. Não sei se um dia, não poderás vir a dizer-me que afinal é comigo que queres estar. Não sei se nesse dia largarei tudo para poder estar ao teu lado, ou se pelo contrário, te direi que já não são esses os planos do meu coração. Não sei. Independentemente de tudo, é no agora que vivo, é um presente que tenho no colo e é nele que ponho as minhas esperanças. É cuidando de mim, aprendendo a zelar por mim, não esquecendo aqueles que muito me querem bem, sempre fiel ao que sinto aqui e agora, que vou desembrulhando o meu presente.

 

Cada dia pela manhã, pergunto a mim mesma o que há para descobrir em mais um dia. À noitinha quando me deito, agradeço as imensas surpresas que esse dia me trouxe. É maravilhoso ver que há pessoas que ainda nos surpreendem. E mesmo depois de um dia terem sido a razão de algumas lágrimas, descobrimos que ainda podem vir a ser a razão de imensos sorrisos.

 

Porque há duas maneiras de viver: como se nada fosse um milagre, ou como se tudo o fosse! Imaginem qual é a minha…

 

 

sinto-me: Brilhante!
música: If you were a sail boat_Katie Melua

by anamar às 21:22

link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 7 de Janeiro de 2008

Crónica: Pessoas... razão para uma lágrima!


(imagem tirada da net)

 

 

Acreditar no lado bom das pessoas. É isso que me invade o pensamento de cinco em cinco minutos nos últimos dias...

Sempre acreditei que todos têm algo de bom que deve pesar sempre mais do que todo o resto. Mas nos últimos dias está difícil de manter esta atitude positiva.

Desde o rapaz que te manda mensagens a dizer o quão especial tu és, que se diz teu amigo, estar para o que for preciso. Que te dá a entender que será mais merecedor de ti do que a pessoa que amas, que apesar de ser o motivo da tua dor nos últimos tempos, sabes que sempre foi a pessoa mais sincera que conheceste. Rapaz esse que mais tarde vens a descobrir que tem namorada. Onde é que pára a honestidade???

Desde estar rodeada de amigos traídos. Namoros de anos. Namoros mais curtos, mas nos quais houve sempre uma pessoa a entregar-se demais, e por sua vez a magoar-se demais. Onde está a honestidade??? Onde está o respeito??? Já nem digo pelo outro, mas por si próprio... onde está? Não é num mundo assim que quero viver.

Desde pessoas que vejo darem tanta importância ao que não tem. Perderem tanto tempo em argumentações, "porque tu isto", "porque tu aquilo", darem significados negativos às atitudes dos outros sem sequer lhes darem o benefício da dúvida... e muitas vezes a pessoas que sempre lhes deram a elas esse benefício. Julgar por si os outros, é um dos maiores erros das pessoas hoje em dia, e sem dúvida dos que mais me têm magoado.

Não adianta pensar o que sempre pensei, "só é magoado quem se deixa magoar" porque é uma grandessíssima treta. Deus ensinou-me a amar as pessoas sem condições, e para haver verdadeiro amor tem de haver entrega. Quando te entregas, abres o teu coração ao que quer que tenham para te dar, por vezes isso implica que te magoes. Nem sempre as pessoas estão preparadas para receber esse sentimento. Nem sempre o que tu dás é recebido como o quiseste passar. Nem todos os olhos vêm da mesma maneira. É aqui que entra o perdão!!!

Grandes amigos, há bem pouco tempo, fizeram-me ver que o que verdadeiramente importa é que te conheças bem, que acredites em ti e no amor que pões em tudo o que fazes ou dizes. Se há quem não esteja preparado para ele, isso já não depende de ti.

sinto-me: Com o coração dormente

by anamar às 12:09

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Quinta-feira, 27 de Dezembro de 2007

As palavras que nunca te direi...

(imagem tirada da net)
 

As palavras, mesmo escritas, estão a custar a sair. Pode ser que um destes dias eu consiga deitar cá para fora toda esta dor. O meu coração está desfeito. Desmanchei todas as minhas esperanças. Baixei os braços e deixei-te partir. Porque tu não és meu… és e sempre foste de outra pessoa.

Ontem deixei a minha almofada coberta de um mar de saudade. Lembro-me de quando nos falámos a primeira vez, de quando nos vimos, de quando nos olhámos cara a cara… Das infinitas conversas que tínhamos no msn. Ficávamos horas a falar de música, de sentimentos, de Deus, do amor. Éramos tão parecidos que até doía. E esse íman que nos fazia ficar acordados até às duas da manhã sem nenhum ter coragem de desligar. Era um custo desligar… deixar de te ler, deixar de te ouvir… Uma vez disseste-me que a noite tem menos brilho sem uma conversa comigo. Desde então, poucos eram os dias em que não falássemos.

Não demorou muito em depositar em ti uma confiança que poucas pessoas recebem de mim. Porque tu sentes tudo como eu, sentes tudo de todas as maneiras, simplesmente sentes! E pelo mesmo motivo sei que confias imensamente em mim, tu mo disseste e eu sinto isso. No que depender de mim, essa confiança não cessará nunca, bem como o bem-querer que te tenho.

Fiz contigo algo que não pensava ter coragem. Por gostar tanto de ti, deixei-te partir quando a hora chegou.

Houve momentos em que te sentiste apavorado, imensamente triste, e nesses momentos eu dei-te o meu colo, o meu ombro, a minha mão. E as tuas lágrimas, que pensavas já estarem secas, caíram todas no meu regaço, onde te abracei com força, onde te guardei em mim.

Lembro-me de um dia que me levantei às duas da manha para falar contigo… depois de uma mensagem de boa noite, em que pensavas que já estava a dormir. Soubeste apreciar o gesto. Como todos os outros que te dei.

Lembro-me de quando comecei a deixar de mandar no que sentia. Foi numa noite que me pediste ajuda. Lembro-me de combinarmos deixar as coisas fluir, mas nessa noite estavas muito triste… e eu estava aqui para te acolher. Disseste que ela não te sabia fazer feliz. Disseste que começavas a querer-me… e eu acreditei. Porque nunca me disseste que não… porque eu sempre te disse que sim.

Guardo no peito lugares marcantes. O lugar onde te roubei o primeiro beijo, e tu deixaste. Toquei-te ao de leve, como uma borboleta que poisa nesses lábios doces. Percorri o teu rosto infinitas vezes até ter a certeza que estavas ali comigo. Peguei-te na mão e se pudesse não mais te deixava. As minhas mãos eram tuas.

Recordo o lugar onde a nossa pele se tocou, muito além do mundo físico. Nesse dia eu já era tua. Mas tu não eras meu. E por isso, a razão não me deixou ser livre, porque tu não eras livre.

Lembro os momentos em que rimos até doer a barriga. A loucura era um dos alimentos desta nossa aventura, desta nossa paixão. Não tenho medo de lhe chamar paixão, pois sei que tu próprio um dia assim lhe chamaste, me chamaste.

Guardo comigo as coisas lindas que me chamavas, porque sei que eram sentidas. Não disseste uma única palavra que não fosse sentida. Eu fui a tua paixão… eu fui o teu guia… eu fui o teu anjo da guarda. Hoje sou uma amiga...

Onde quer que estejas, com quem quer que estejas, quero que saibas que te amo, e por isso quero que sejas o mais feliz que conseguires! É uma ordem!!!

sinto-me: Mega triste...
música: I Remember You_Diana Krall

by anamar às 19:04

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito


.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


.Fases da Lua

CURRENT MOON

.favorito

. A energia de um sorriso.....

. Línguas de fogo

. James Carrington - "Ache"

. Numa caixa de papelão

. Viagem no teu pensamento

.outros pedaços

blogs SAPO

.subscrever feeds