.relógio

.pedaços recentes

. Dois sonhos, dois destino...

. A história de um perfume....

. Eu só quis que soubesses ...

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Abril 2014

. Março 2014

. Outubro 2013

. Julho 2013

. Maio 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Junho 2012

. Abril 2012

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Abril 2010

. Fevereiro 2010

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

.aqui e agora

hit counters

Segunda-feira, 16 de Junho de 2008

Dois sonhos, dois destinos possíveis... ou não...

(imagem tirada da net)

 

Voltaste a sair por essa porta sem data definida para voltar…

 

Tenho sonhos intercalados… que vou sonhando nas noites que passo com metade da cama deserta…

 

Numas noites sonho que um dia voltas… chegas passadas muitas semanas. Semanas que sinto como anos, que me envelhecem a cara e o corpo por não te sentir perto, alimentando a minha pele… Chegas de soslaio, em passos surdos. Dois ou três dias antes da tua volta, fui recebendo várias cartas, uma por cada dia. Nelas tu ias descrevendo o caminho que foste obrigado a percorrer desde o dia que nos olhámos pela última vez. Por onde andaste, aquilo que te levou a partir, os teus medos, as tuas escolhas, as tuas vitórias… e o que fez com que voltasses. Tudo tu registaste. A última porém, sem endereço de partida, aliás, como todas as outras, trazia um sabor diferente. Nela estava tudo o que eu gostaria de ouvir da tua boca. Dizias estar disposto a lutar… por mim. A aceitar que me queres por perto, independentemente de para onde o vento decidisse soprar a nossa vela. Estavas disposto a ser corajoso. E é isso que me dizes no sonho, olhando-me, depois de tanto tempo longe, depois dessa tua volta com tanto de suave como de inesperada.

 

Noutras noites sonho que se passam semanas, meses… até que percebo que tu não voltas. Tu, que nunca lutaste por mim. Também nunca te fui propriamente difícil. Sempre gostei mais de ti do que (talvez) devia. Sempre gostei mais do que se calhar tu precisaste, e por isso nunca fui peça que fizesse muita falta no teu puzzle. Sem saber ao certo se por medo de uma espera interminável, se de um dia me reencontrar contigo, como já aconteceu em tempos, e não te encontrar sozinho, viro a página… encerro o capítulo! Começo outro… Para que, mesmo que um dia te veja por aí, pelo menos estou certa que não coloquei nos teus ombros qualquer peso de responsabilidade pela melancolia da minha espera. És livre. Não te julgo, pois os caminhos que escolhes são só teus. Nunca fiz parte de ti o suficiente para poder tomar parte nas tuas escolhas, para me sentir incluída na tua vida a esse nível. Não digo isto porque me sinta magoada, digo apenas como alguém que faz por discernir o lógico, de coração aberto e uma energia pronta a renovar-se.

 

O que vale, é que sonhos… são apenas sonhos…

 

 

sinto-me: com sono, lol!!!
música: This Years Love_David Gray

by anamar às 14:40

link do post | comentar | favorito

Sábado, 9 de Fevereiro de 2008

A história de um perfume...

   
(imagem tirada da net)
 

Quem sabe as sensações que um só aroma pode esconder???

 

Certo dia... um dia comum pensava eu, conheci um rapaz. Um jovem bem-parecido, não muito alto, olhos claros, sorriso expressivo. Mas o que mais me encantou nele, não foi nenhuma das suas características físicas, nem a sua maneira de se apresentar... foi sim o perfume. Um aroma como eu nunca antes senti. Um perfume inebriante, capaz de me arrancar os pés do chão sem mexer um músculo. Desde esse dia, sempre que passava por mim, parecia que a cena congelava, os únicos personagens móveis éramos apenas nós. Como é possível existir um aroma assim? De onde vem? Como se chama? Um mistério que demorei três longos anos a desvendar. Mesmo assim não estou certa se encontrei a verdadeira chave do mistério.

Não há muito tempo, numa divertida conversa com uma amiga, que vende produtos de catálogo, foram-me dadas a cheirar várias amostras de fragrâncias, tanto de homem como de mulher. Eu até estava interessada em encontrar um novo aroma para mim. O meu perfume habitual estava a chegar ao fundo do frasco. No meio de tantas provas estava um, que me deixou perplexa, sem fala. De repente fez-se luz. É este!!! É este que eu quero! Reconheço este cheiro, como se a pessoa que mo deu a conhecer aqui estivesse. Este aroma traz-me à memória tão doces momentos, mas acima de tudo, alguém especial. Não sei se era este que também tu usavas, talvez um dia mo reveles...

E foi assim que redescobri o aroma mais indescritível que alguma vez senti, do qual nunca me disseste o nome.

Antes na tua pele... Agora na minha!
 
sinto-me: Inebriada...
música: Amos Lee_Colors

by anamar às 16:10

link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 26 de Dezembro de 2007

Eu só quis que soubesses quem eu sou...

Iris

E eu desistiria da eternidade para te tocar
Pois eu sei que, de algum modo tu me sentes
É o mais próximo do paraíso que eu jamais estarei
E eu não quero ir para casa agora

E tudo o que posso provar é este momento
E tudo o que posso respirar é a tua vida
Porque mais cedo ou mais tarde tudo acaba
Eu só não quero ficar sem ti esta noite

E eu não quero que o mundo me veja
Porque eu sei que eles não entenderiam
Quando tudo é feito para não durar
Eu só quero que tu saibas quem eu sou

E não podes lutar contra as lágrimas que vêm
Ou o momento de verdade das tuas mentiras
Quando tudo se parece como nos filmes
Sim, tu sangras apenas para saber que estás vivo

E eu não quero que o mundo me veja
Porque eu sei que eles não entenderiam
Quando tudo é feito pra não durar
Eu só quero que tu saibas quem eu sou

E eu não quero que o mundo me veja
Porque eu sei que eles não entenderiam
Quando tudo e feito pra não durar

Eu só quero que saibas quem eu sou!

 

(imagem tirada da net)
 

 

Não sei se conseguiria desistir da eternidade para te tocar... Se os teus sinais me mostrassem um caminho! Mas neste momento os sinais desapareceram. Houve momentos em que esses sinais eram tantos. Sentia-me feliz, porque em tempos também deixei de os procurar, então apareceste tu.

Então fui-me deixando levar, por ti. Aos poucos fui-te trazendo comigo. Ainda hoje estás comigo, e sempre vais estar. A maneira como te guardo é que pode ir mudando com o tempo, pois estou certa que a maneira como me guardas também não será sempre igual. Mas o para sempre já existe. A tua pele já tocou a minha.

Eu só quis que soubesses quem eu sou... e já conheces tanto de mim! Mas não conheces tudo, e estou certa que nunca vais conhecer. Guardo mistérios em mim que, se te revelasse um por cada dia, uma vida não bastava para os conheceres a todos. Por isso nunca te convenças que sabes tudo de mim, terei sempre algo guardado para te surpreender.

 

 

sinto-me: nem sei...
música: Goo Goo Dols - Iris

by anamar às 14:51

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito


.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


.Fases da Lua

CURRENT MOON

.favorito

. A energia de um sorriso.....

. Línguas de fogo

. James Carrington - "Ache"

. Numa caixa de papelão

. Viagem no teu pensamento

.outros pedaços

blogs SAPO

.subscrever feeds